Ideias

Quando é preciso recomeçar

Quando é preciso recomeçar
29 set 2017
Atualizado em: 13/11/2017

Um dos problemas de entrar em um segundo tratamento de câncer é que o spoiler é inevitável. Você já sabe dos detalhes todos. Um pouco como repetir de ano na escola, reprovar no vestibular ou perder um emprego de anos e ter de começar de novo.

Não é desprezo pelo que se viveu, é inconformismo. Porque, no fundo, você pensa que não sabe de nada. Se soubesse, não estaria ali de novo, né, cara pálida? Ou estaria? Ninguém sabe. Mas sempre tem aquela vozinha sussurrando no ouvido. E se eu não tivesse reduzido as caminhadas? Se eu tivesse comido menos brigadeiro? Por que não virei uma Bela Gil, fiz terapia de vidas passadas, virei vegetariana, fui meditar na Índia?

Não, eu queria trabalhar. Afinal, depois de um perrengue gigantesco, a vida se abre de novo, generosa. Vontade de agarrar tudo e sair carregando como quem diz: é tudo meu. Eu posso, eu consegui. Vem mundão! E ele, o mundo, foi gentil como nunca.

Só que não. Estou aqui de novo.  Que parte da história eu perdi?

Depois do desespero, você arregaça as mangas. Mais leitura, pesquisa, dietas, exercícios, reza, remédios. Se conseguiu uma vez, consegue de novo. Ou não? E ela, a dúvida, se instala fazendo um barulho insuportável na hora de dormir.

Mas aí você lembra que a braveza passa, porque ela sempre passa. Você respira fundo três vezes, como aprendeu na ioga que começou no ano passado e nunca mais parou.  Medita um pouco porque já não diz “ eu não consigo meditar” porque, sim, você sabe que pode acalmar a mente, contendo o fluxo perverso de pensamentos.

Você olha em volta. Vê sua família ali, unida, forte e alegre, porque ela também aprendeu a sorrir apesar das preocupações e a fazer festa porque estar junto já é motivo para comemorar.

Você encontra os amigos. Os antigos, que não te largaram nunca. Os novos, flores que brotaram na fase difícil. E sabe que pode rir, chorar até molhar o chão e rir de novo até doer a barriga. Porque dá para estar triste e feliz ao mesmo tempo, e os risos e lágrimas geram uma força que ninguém sabe de onde vem.

Quando você pensa que tudo desandou, eles vêm com um assunto novo, uma história, uma receita e até com trabalho! Colocam ali na sua frente como quem diz: está tudo aí, o mundo não acabou.

E você se lembra do que já aprendeu. Que é preciso prestar atenção, estar presente, e não flutuando entre um passado que acabou e um futuro imprevisível. Que a amizade e o amor também curam e que a vida pode ser leve, linda e alegre mesmo quando tem tudo para não ser.

E percebe que nada foi em vão. Que você tem um pouco a ensinar, mas também muito a aprender porque  sempre há dimensões desconhecidas que estão por vir.

Não tem jeito. A vida flui por todos os lados, quer você queira ou não, viva com com uma doença grave ou não. E honrá-la minuto a minuto, descobrindo todo dia um pouco mais, não é só uma maneira de viver bem com câncer. Talvez seja também a melhor forma de existir de verdade.

Daí você simplesmente levanta. E vai em frente.

por Cassiana Pizaia
compartilhe:

Veja também:

comentários

  1. Lebna
    01 out 2017

    Que bom saber de vc e que delicia de texto. Te admiro mais que nunca! Que a vida lhe traga intensidade, força, sabedoria, saúde e muito mais nessa sua jornada! Bj grande!

    • Cassiana Pizaia
      03 out 2017

      A todos nós, Lebna. Obrigada!

  2. Stelamaris
    02 out 2017

    Que lindo minha amiga ! É assim mesmo , hora cansamos , hora reagimos , mas são as pessoas que nos rodeiam que pedem que tenhamos força . É assim que vamos em frente ! Parabéns!!🌹😘😘

    • Cassiana Pizaia
      03 out 2017

      Obrigada, Stelamaris. É assim na vida, não é mesmo? Abraço!

  3. Tá tudo lindo e acolhedor por aqui. É preciso recomeçar todos os dias. E cada texto, destino, foto, ideias que clicamos aqui no Aos 4 Ventos percebemos este fôlego cotidiano e tão necessário. Seu olhar sobre a vida, as coisas, as viagens é o que faz toda a diferença neste espaço e na sua história!

    • Cassiana Pizaia
      04 out 2017

      Obrigada, Silvia. Não acomodar o olhar, ver e viver tudo com olhos de novidade é o que nos move todos os dias. Bom ter você por aqui. Beijo.

  4. christina mattos
    06 out 2017

    Você tem força e sabedoria pra recomeçar. Na próxima ida à Curitiba quero te ver! Um grande abraço!

    • Cassiana Pizaia
      06 out 2017

      Acho que a gente encontra força no caminho, não é? Seria ótimo te encontrar, Cris.

  5. Tania Maia
    26 out 2017

    Que delicia de menina que sabe ser forte e aproveitar o melhor da vida!
    Exemplos para muitos . Conheço poucos com essa resiliência.
    Então continue e com Força Fé e Foco no dom da Vida , que só JESUS permite.
    Parabéns por tudo, amei o blog e amei te conhecer , mesmo que seja virtual.

    • Cassiana Pizaia
      27 out 2017

      Muito obrigada, Tania. Sabe que tenho descoberto muita gente incrível, que supera situações até mais graves com força e serenidade. Elas são minha inspiração. Vendo o exemplo destas pessoas, espero dar também minha pequena contribuição. Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *